Foto - reprodução:  Stora Enso / New generation Plantations

Já está no ar o Relatório Anual 2021 da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), referente a 2020, desenvolvido em parceria com o IBRE/FGV, que apresenta os indicadores do setor de árvores cultivadas, mostrando a relevância e os impactos desta importante e sustentável cadeia produtiva, seja por seus produtos, pelos investimentos em ações socioambientais nas comunidades ou pelas oportunidades de emprego e renda que gera em regiões distantes de grandes centros. 

Com faturamento de R$ 116 bilhões, o setor planta, colhe e replanta. Plantamos 1 milhão de árvores por dia para fins industriais. São 9,55 milhões de hectares de áreas para produção no país, ao mesmo tempo o setor conserva outros 6 milhões de hectares de mata natural, uma área maior do que o Estado do Rio de Janeiro. Não há nenhum outro setor produtivo com tamanha área de conservação. 

Florestas plantadas

Em 2020, a área total de árvores plantadas totalizou 9,55 milhões de hectares, um recuo de 1,4% em relação ao dado revisado de 2019, que ficou em 9,69 milhões de hectares. Entre as espécies, 78% da área é composta pelo cultivo de eucalipto, com 7,47 milhões de hectares; e 18% de pinus, com aproximadamente 1,7 milhão de hectares. Além desses cultivos, o setor conta com cerca de 382 mil hectares plantados de outras espécies, entre elas a seringueira, acácia, teca e paricá.

Produtividade das florestas de eucalipto e pinus

O Brasil é referência mundial quando o assunto é produtividade de plantios florestais, com alto volume de produção anual de madeira por área e um curto ciclo. Além das condições de clima e solo, o setor investe anos em pesquisa e desenvolvimento das melhores técnicas de manejo florestal, aliados ao melhoramento genético e práticas sustentáveis.

As mudanças climáticas podem ser um dos fatores que impactaram na queda de produtividade média por ano no plantio de eucalipto de 38,6 m³/ha, em 201910, para 36,8 m³/ha. A produção de pinus acompanhou a tendência ao passar de 31,9 m³/ha, no ano anterior, para 30,4 m³/ha.





Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem