Ads Top

Os primeiros Engenheiros Florestais formados no Brasil

Eles são os primeiros Eng. Florestais formados e merecem nossa gratidão e homenagem 

   No Brasil temos a Ciência Florestal como uma das mais refinadas do mundo. Temos uma silvicultura invejada, um manejo diferenciado e um melhoramento avançado, tornando o Engenheiro Florestal um expoente na área.
   É por isso que procuramos informações sobre alguns dos primeiros engenheiros florestais formados no Brasil, sobretudo na década de 60 e início dos anos 70. Os profissionais que fizeram a história da profissão no Brasil, iniciaram e formaram nas primeiras turmas instaladas no país, e iniciaram um dos movimentos profissionais mais importantes das ciências agrárias, e em plena ascensão em todo o mundo. 
  Antes de conhecermos os engenheiros florestais pioneiros da profissão, vamos entender como se deu o cenário de instalação desta engenharia no Brasil.
  Sabemos que o desenvolvimento do Brasil tem colocado as diferentes vertentes da engenharia ainda mais em foco, para muito além das áreas tradicionais, ligadas à construção civil e à mecânica, hoje já contamos com profissionais que lidam com temas de diferentes naturezas. Um grande exemplo dessa renovação da categoria é a figura do Engenheiro Florestal, que, comparado a outros campos de estudo, a Engenharia Florestal é considerada nova, sendo implantado no Brasil na década de 60 e já caracteriza como um dos alicerces que contribuem diretamente para o desenvolvimento do país. 
   Em 5 de maio de 1960 na cidade de Viçosa-MG, com o apoio da FAO, órgão das Nações Unidas para a Agricultura, foi criada a primeira Escola Nacional de Florestas, mediante um acordo firmado entre a Universidade e os Ministérios da Agricultura e da Educação e Cultura.
   Entretanto, por razões diversas, não foi possível a continuação desse acordo, em virtude da transferência desta Escola para a Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, em 14 de novembro de 1963.
  O Governo do Estado de Minas Gerais, juntamente com a Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG), resolveu manter uma unidade de ensino florestal de nível superior, e, pelo Decreto nº 7.419, de 21 de fevereiro de 1964, criou a Escola Superior de Florestas (ESF), cujas atividades tiveram início em 3 de março do mesmo ano, tendo como diretor o  professor Arlindo de Paula Gonçalves. A Escola Superior de Florestas passou a constituir uma das unidades de ensino da UREMG, seguindo os objetivos básicos de sua filosofia: ensino, pesquisa e extensão.  Em 1º de julho de 1978, obedecendo a Portaria Ministerial nº 465, a UREMG experimentou uma profunda transformação organizacional e administrativa, passando a ser denominada Universidade Federal de Viçosa, (UFV). Com essa transformação, foi criado o Centro de Ciências Agrárias, ao qual foi vinculado o Departamento de Engenharia Florestal (DEF), substituindo a Escola Superior de Florestas.
   O ensino florestal no Brasil continuou evoluindo nos anos seguintes com a criação de mais 7 escolas na década de 1970, 5 escolas nos anos de 1980 e mais 5 na década de 1990, perfazendo um total de 20 escolas até o ano 2000, e segundo o Ministério da Educação – MEC, para o ano de 2012 já existem 74 cursos de graduação em Engenharia Florestal, oferecidos por 60 escolas de ensino superior.
   O conjunto desses cursos graduou 1.644 engenheiros florestais entre 1970 e 1979; 3.168 entre 1980 e 1989; 2.642 entre 1990 e 1999, perfazendo um total de 7.652 engenheiros florestais nas quatro primeiras décadas de existência da engenharia florestal no Brasil.
   A pós-graduação também teve grande impulso desde que foi criada em 1972 e instalada em 1973, na Escola de Curitiba (mestrado), seguida por Viçosa (1976), USP-ESALQ - Piracicaba (1976), INPA (1980). Esses cursos deram o suporte de recursos humanos para a criação e o desenvolvimento de outros. Mantendo o pioneirismo nos três níveis acadêmicos, a Escola de Curitiba criou, em 1982, o primeiro curso de doutorado em engenharia florestal no Brasil. Em 1989, surgiu o segundo curso de doutorado, em Viçosa. 
   Até 2000, eram dez os programas de pós-graduação, nível de mestrado, e apenas quatro de doutorado. Em 2010, já são 19 cursos/programas que oferecem o mestrado e 13 de doutorado. Esses cursos têm formado, em média, nos últimos anos, 190 mestres e 65 doutores.

Engenheiros Florestais que fizeram a História da Profissão no Brasil
 
 Hoje eles são exemplos de profissionalismo e pioneirismo, fizeram da engenharia florestal uma profissão que deu muito certo, e hoje têm formado centenas de profissionais embasados no ensino, pesquisa e extensão.
   Fizemos uma revisão de dados sobres alguns destes profissionais que tiveram o privilégio de formarem nas primeiras turmas, na década de 60 e início dos anos 70, muitos deste ainda vivos, fazem suas importantes contribuições ao ensino e mercado florestal no Brasil.
Saiba quem são estes profissionais:
SYLVIO PÉLLICO NETO 

Concluiu o Curso de Engenharia Florestal na Universidade Federal do Paraná em 1965. Concluiu Mestrado em Inventário Florestal na Universidade de Nova Iorque em 1969, se tornando o primeiro MS em Manejo Florestal no Brasil. Ao retornar ao Brasil se tornou Professor da Universidade Federal do Paraná e lá exerceu várias funções acadêmicas até o ano de 1995. Sua carreira acadêmica foi iniciada em 1970 na UFPR, construída basicamente no campo da Biometria, Estatística e Manejo de Florestas. Foi também Professor da PUCPR.
   Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1965), mestrado em Manejo Florestal - New York University (1968) e doutorado em Biometria e Inventário Florestal - Albert-Ludwigs-Universität Freiburg (1979). Ex-professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e atualmente Professor Sênior da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Dendrometria e Inventário Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: floresta natural, inventário florestal, ecologia florestal, amostragem e regeneração natural. 

SEBASTIÃO DO AMARAL MACHADO


    Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1965), mestrado em Dasometria, Mensuração Florestal pelo Instituto Interamericano de Ciências Agrícolas da Oea (1972) e doutorado em Biometria e Manejo Florestal pela Universidade de Washington em Seattle Washington U S A (1978). Atualmente é assessor/consultor da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná e Professor Sênior da Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Dendrometria e Inventário Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: Bracatinga, Pesquisa Florestal, Manejo Florestal, Floresta Tropical e Funções de Afilamento.

MÁRIO TAKO INOUE
Graduou-se em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1969) e doutorado em Dasonomia Mundial (Weltforstwirtschaft) - Universitat Hamburg (1976), pós-doutorado pelo Forestry and Forest Products Research Institute, Japão (1994). De 1970 a 1998 atuou como docente na Universidade Federal do Paraná (UFPR), aposentando-se como Professor Titular. De 1998 a 2000 foi Diretor do Centro de Pesquisas Ecológicas da Amazônia (CEPEAM). De 2001 a 2012 atuou como docente na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), aposentando-se como Professor Associado. Atualmente é o administrador do sítio http://www.poststudium.com que pretende ser a ferramenta de busca por cursos stricto sensu em nível mundial. É Membro da Academia de Letras, Artes e Ciências do Centro Sul (ALACS).

ANTÔNIO JOSÉ DE ARAUJO
Engenheiro florestal pela Universidade Federal do Paraná, 1966 a 1969. Master of Science em Ecologia Florestal e Philosophy Doctor em Genética Florestal pela Universidade do Estado de Michigan, EUA. - Pós-Doutorado em Silvicultura Urbana pela Universidade do Estado de Michigan. - Foi professor da Universidade Federal do Paraná (1970-1997), exercendo as funções de chefia de departamento, coordenador de curso e pró-reitor, entre outras. - Foi professor visitante da Universidade do Estado de Michigan (1990-1995), quando estabeleceu e dirigiu o Programa de Intercâmbio Acadêmico entre MSU e UFPR, intitulado: Biodiversidade, Proteção e Manejo de Ecossistemas no Brasil . - Atualmente é professor da UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná, Irati. - Na UNICENTRO foi vice-chefe ou chefe do Departamento de Engenharia Florestal de 2001 a 2011. - O Curso de Engenharia Florestal da UNICENTRO obteve conceito máximo nos ENADE 2005 e 2008 (Provão do MEC) e em 2010 recebeu cinco estrelas na avaliação dos cursos de Engenharia Florestal do Brasil. - É membro titular do Comitê de Ética em Pesquisa da UNICENTRO. - É coordenador nacional do NEBIO - Núcleo de Estudos de Bioética da BSGI Associação Brasil Soka Gakkai Internacional. - É consultor do Departamento de Cientistas da BSGI - Publicou mais de 120 trabalhos em periódicos, anais de eventos (trabalhos convidados, voluntários e pôsteres), livros, capítulos de livros e relatórios técnicos. - Recebeu vários prêmios e honrarias como: Honra ao Mérito, da Universidade Federal do Paraná; Prêmio de Alta Contribuição à Pesquisa, da Soka Gakkai Internacional (Japão); Prêmio Cultural, do Instituto de Filosofia Oriental (Japão); Prêmio de Estudos Canadenses, do Governo do Canadá; Medalha Militar Correia Lima (Exército Brasileiro); entre outras. - É membro da Sociedade Nacional Honorária Florestal dos EUA; da Sociedade Nacional Honorária de Agricultura dos EUA e da Sociedade Nacional Honorária de Pesquisa Científica dos EUA e da Sociedade Brasileira de Bioética. - É também vice presidente da ALACS - Academia de Letras Artes e Ciências do Centro-Sul do Paraná. 

 ROBERTO HOSOKAWA
  Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná(1969), especialização em Curso de Especialização Em Engenharia Florestal pela Universidade Nacional do Chile(1970), mestrado em Forstwirtwissensschaft pela Universität Freiburg(1974), doutorado em Economia e Manejo Florestal pela Universität Freiburg(1976) e pós-doutorado pela Universidade de Freiburg(1986). Atualmente é CONSULTOR AD HOC do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Professor sênior da Universidade Federal do Paraná, PRESIDENTE do Instituto de Economia e Tecnologia Paraná-BR & Hyogo-JP, Membro de corpo editorial da SBPN (São Paulo), Membro de corpo editorial da Floresta (UFPR), Membro de corpo editorial do Instituto Hyogo, Membro de corpo editorial da Revista Ciências Agrárias UFRAM, Editor Chefe da Editora Instituto Hyogo e Revisor de periódico da Anais Symposium Brazil - Japan. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Manejo Florestal. Atuando principalmente nos seguintes temas:Economia, Manejo, Determinação de Rotação, Critérios Econômicos. 

ANTÔNIO BARTOLOMEU DO VALE
   Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1964), mestrado em Ciência Florestal - Purdue University (1969) e doutorado em Recursos Florestais - University of Washington (1979). Atualmente é professor voluntário da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Manejo de Florestas Nativas e Plantadas, atuando principalmente nos seguintes temas: ciencia florestal, revista arvore, impactos ambientais, regeneração natural e eucalyptus spp. 

JOSÉ SALES MARIANO DA ROCHA
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa - MG (1964), Especialização em Sistemas Educacionais em Israel, Especialização em Fotointerpretação no Centro Pan-Americano - CEPERN, Especialização em Inventário Florestal voltado ao ensino do 3º Grau - Direcção Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas - Lisboa - Portugal, Mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Santa Maria (1975) e Doutorado em Fotointerpretação e Planejamento Físico Rural e Livre Docência em Avaliação da Capacidade de Uso da Terra pela Universidade Federal de Santa Maria (1977). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Maria, consultor da Cooperativa dos Trabalhadores Ambientalistas de Alagoas, professor titular visitante da Universidade Federal de Campina Grande e professor titular visitante, na área de Educação em Detecção Remota - nivel Mestrado - da Universidade de Coimbra - Portugal. Tem experiência na área da Educação, com ênfase em Educação Ambiental e na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Fotointerpretação Florestal e Projetos Ambientais, atuando principalmente nos seguintes temas: Meio Ambiente, Educação Ambiental Tradicional e Técnica, Manejo Integrado de Bacias Hidrográficas, Dossiê de Ambiência, Planejamento Municipal, Planejamento Físico Rural, Zoneamento Ambiental e EIA-RIMA (com Avaliação de Impactos e Passivos Ambientais). È autor de 21 livros (nos últimos 10 anos) na área ambiental sendo 3 reproduzidos em repetidas edições. Atualmente é Coordenador do Centro Internacional de Projetos Ambientais - CIPAM e Coordenador do Centro Nacional de Treinamento em Manejo Integrado de Bacias Hidrográficas do Departamento de Engenharia Rural do Centro de Ciências Rurais da UFSM como professor titular voluntário. Embaixador da Universidade Federal de Santa Maria no V ENCONTRO DA SOLIDARIEDADE ocorrido em outubro de 2006. Foi criador dos Projetos de implantaçao na UFSM, dos cursos: Eng.Florestal (graduaçao) Interpretaçao de Imagens Orbitais e Suborbitais (Especializaçao), Geomática (Mestrado) e Educaçao Ambiental (Mestrado) sendo o coordenador de todos eles. Recentemente Aposentado pela Portaria Nº 55.116 de 15 de Junho de 2009 do Ministério da Educação.

RICARDO MARIUS DELLA LUCIA
Possui graduação pela Universidade Federal de Viçosa (1969), mestrado pela Purdue University(1973) e doutoradopela Purdue University(1975). Atualmente é da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Construção Civil. Atuando principalmente nos seguintes temas:Madeiras Amazonicas, Mecanica da Madeira, Propriedades Mecanicas da Madeira, Qualidade da Madeira, Grading.

BENEDITO ROCHA VITAL
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1969), mestrado em Forestry - University of Wisconsin - Madison (1974) e doutorado em Forest Products - Oregon State University (1979). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais, atuando principalmente nos seguintes temas: Qualidade da madeira, Energia da biomassa, Adesivos para madeira e Compósitos de materiais lignocelulósicos. 


LAÉRCIO COUTO
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1967), mestrado em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1977), doutorado em Forestry pela University of Toronto (1983) e pós-doutorado em Forestry and Agroforestry pela Colorado State University. Atualmente é Professor Adjunto da Faculty of Forestry da University of Toronto, Canada e Membro do Conselho Editorial do Canadian Forestry Chronicle, no Canada; Presidente do Conselho de Administração do CBCN - Centro Brasileiro para Conservação da Natureza e Desenvolvimento Sustentável; Presidente do Conselho de Administração da RENABIO - Rede Nacional de Biomassa para Energia; Presidente do Conselho de Administração da SBAG - Sociedade Brasileira de Agrossilvicultura; Consultor florestal das empresas Suzano, Duratex, Tervit Florestal, ERB Brasil Energias Renováveis, Tecflora e Afortech. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Sistemas Agroflorestais e plantações florestais de curta rotação, atuando principalmente nos seguintes temas: sistemas agroflorestais, plantações de eucalipto e pinus, produção de biomassa para energia em plantações adensadas de eucaliptos clonais, manejo florestal, revegetação de áreas degradadas, produção de mudas de espécies florestais e agrossilvicultura. 

FRANCISCO DE PAULA NETO
Possui graduação em pela Universidade Federal de Viçosa (1968), mestrado em - Purdue University (1973) e doutorado - Purdue University (1975). É professor titular aposentado da Universidade Federal de Viçosa. Foi membro do comitê assessor de eng. agroin. do CNPq. Professor e Coordenador de disciplinas da Engenharia Florestal e da Pós-Graduação em Ciência Florestal da UFV. Presidente das Câmaras Curriculares dos Cursos de Graduação das Ciências Agrárias da UFV. Coordenador de Cursos de Pós-Graduação da UFV. Em Orientação e Aconselhamento de Estudantes, participação direta em 20 Monografias, 30 Seminários, 20 Teses de Mestrado e em 10 Teses Doutorado. Participou em Bancas de Teses na UFV e em outras Universidades Federais; participou de vários Concursos de Instituições Públicas e em Universidades Brasileiras: cerca de 76. Ocupou vários Cargos Administrativos e Acadêmicos, destacando-se a Chefia do Departamento de Engenharia Florestal e a Diretoria do Centro de Ciências Agrárias da UFV. Foi Presidente da Soc. de Inv. Florestais - SIF/UFV e Presidente da Assoc. Brasileira de Educação Agrícola Superior ABEAS. É membro do Conselho Consultivo e Diretor da ABEAS. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Dendrometria, Mensuração e Inventário Florestal. Foi Pesquisador 1-A do CNPq. Autor de mais de 60 (sessenta) trabalhos técnicos e científicos, publicados em revistas especializadas. Prestou consultoria em análise e avaliação de projetos e trabalhos de pesquisa e de desenvolvimento científico e tecnológico. Participou de Credenciamentos e Reconhecimentos de vários Cursos de Graduação de Ciências Agrárias para a CAPES/MEC. Foi membro da Comissão de Especialistas em Ciências Agrárias CECA/SESu/MEC. Concomitantemente, de 1993 até 1998, foi Conselheiro do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia CONFEA, tendo exercido, em 1997, o cargo de Diretor daquela Autarquia Federal. Foi Diretor-Presidente da Mútua de Assistência dos Profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. Ocupou o cargo de Diretor de Monitoramento e Controle do Instituto Estadual de Florestas IEF/MG, de 2000 a 2002. Gerente de Meio Ambiente Consultor de Meio Ambiente do INCRA/MG. Foi Diretor Geral da Faculdade de Viçosa - FDV. 
ARNO BRUNE
Formado na década de 60. Possui doutorado em Engenharia florestal - University of Florida (1973). Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Genetica e Melhoramento Florestal




AMAURY PAULO DE SOUZA
Possui graduação em Engenharia Florestal - Universidade Federal de Viçosa (1972), mestrado em Ciência Florestal - University of Washington (1976) e doutorado em Ciência Florestal/Exploração Florestal/Ergonomia - University of British Columbia (1984). Possui especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho - FUMEC (2001) e o titulo de Ergonomista Certificado - ABERGO. Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Viçosa e coordenador do Laboratório de Ergonomia - ERGOLAB. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Técnicas e Operações Florestais, atuando principalmente nos seguintes temas: ergonomia, colheita florestal, mecanização florestal, transporte florestal e segurança do trabalho.

OSWALDO FERREIRA VALENTE
Possui graduação pela Universidade Federal de Viçosa(1966) e mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa(1975). Atualmente é PROFESSOR TITULAR da Universidade Federal de Viçosa, CHEFIA e DIRETOR DE ADMINISTRACAO da Sociedade de Investigações Florestais. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Energia de Biomassa Florestal. 


RUBENS CHAVES DE OLIVEIRA
Formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa UFV em 1976, onde também concluiu Mestrado em Tecnologia de Celulose e Papel no Curso de Ciências Florestais da UFV em 1979. Em 1990, concluiu seu curso de Ph.D. em Engenharia e Ciências de Celulose e Papéis no College of Environmental Science and Forestry, Syracuse, NY, USA. Com 34 anos de experiência em ensino de graduação e pós-graduação e em pesquisas técnicas e científicas é Professor Pesquisador Titular do Setor de Celulose e Papel do Departamento de Engenharia Florestal da UFV. Atua especificamente na área de Tecnologia de papéis e Propriedades de Papéis, incluindo assessorias e consultorias técnicas a empresas privadas, a órgãos do governo financiadores de pesquisas e a outras instituições relacionadas à sua área profissional.

LUIZ CARLOS COUTO
Graduado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1976), mestrado em Ciência Florestal com opção para Tecnologia de Produção de Celulose e Papel, pela Universidade Federal de Viçosa (1979) e, Ph.D. em Sciences du Bois et de la Forêt pela Université Laval em Québec - Canadá (1996). Atualmente é professor pesquisador do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM, onde se ingressou em 30 de outubro de 2008. Em janeiro de 2011 foi nomeado Diretor científico da Rede Nacional de Biomassa & Energia.De agosto de 2004 a outubro de 2008 foi professor do Departamento de Engenharia Florestal da Unidade Descentralizada UFRA TAPAJÓS, em Santarém. Em fevereiro de 2005 foi eleito através de consulta à comunidade universitária, Diretor da respectiva Unidade para o quatriênio 2005-2009. Foi membro titular de abril a setembro de 2005 do Comitê Gestor do Núcleo de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia - NDSA em Santarém, e Vice-Presidente da Associação dos Profissionais Engenheiros Florestais do Oeste do Pará-ASPEF. Foi membro da Câmara Técnica Florestal e de Fauna do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, e membro titular do Conselho Consultivo e membro suplente da Comissão de Pesquisa da Floresta Nacional do Tapajós - Santarém - PA. Foi membro titular do Comitê Moveleiro e artefatos de madeira do Estado do Pará. Como Diretor da Unidade Descentralizada UFRA/TAPAJOS (Santarém-PA), participou da Comissão responsável pelos estudos visando a criação e implantação da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, em Santarém - PA. É Membro do Grupo de Pesquisa Biodiversidade e Sustentabilidade de Ecossistemas Florestais cadastrado no CNPq. Editor-Adjunto da Revista Biomassa & Energia desde 14 de janeiro de 2004. Possui experiência na área de Tecnologia da Madeira, Tecnologia dos Produtos Florestais e áreas afins.

PAULO RENATO SCHNEIDER
Possui especialização em manejo de florestas tropicais, Mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1978) e doutorado em Engenharia Florestal - Universität Freiburg (1984). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Ordenamento Florestal, atuando principalmente nos seguintes temas: crescimento, produção, manejo florestal, planejamneto da produção florestal e economia florestal.

SOLON JONAS LONGHI
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria (1974), mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1979) e doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1996). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Dendrologia e Fitossociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: fitossociologia e dinâmicas de florestas, floresta estacional decidual, espécies florestais, floresta ombrófila mista, inventário florestal e recuperação de matas ciliares e áreas degradadas. 

AFONSO FIGUEIREDO FILHO 
Engenheiro Florestal pela Universidade Federal do Paraná em 1976 onde também fez seu Mestrado e Doutorado (1983 e 1991) na área de Manejo Florestal. Realizou também um Curso de Especialização em Manejo Florestal promovido pela UFPR/ABEAS em 1989, estágio na Universidade de Freiburg, Alemanha em 1987 e em 1994-95 fez o Pós-Doutorado na Universidade da Geórgia, Athens, EUA. Iniciou suas atividades profissionais em 1977 na Fundação de Pesquisas do Paraná (FUPEF) e ingressou no magistério superior em 1978, como Professor Colaborador, na Escola de Florestas da UFPR, onde atualmente é Professor Sênior no Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, na área de manejo florestal. Em 1999, ingressou no Curso de Engenharia Florestal de Irati da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), onde é atualmente, Professor Adjunto, lecionando disciplinas da área de Manejo Florestal, como dendrometria, inventário florestal, manejo florestal, modelagem no manejo florestal, dentre outras. Na Pós-Graduação é professor de Mensuração Florestal e Manejo de Florestas Nativas. Foi Sub-Chefe do Departamento de Ciências Florestais, Vice-Coordenador dos Cursos de Graduação e Pós-graduação em Engenharia Florestal e Coordenador do Curso de Graduação em Engenharia Florestal da UFPR, além de ser membro do corpo científico da FUPEF. Na UNICENTRO foi Sub-Chefe do Departamento de Engenharia Florestal, Chefe do Departamento de Engenharia Ambiental, Membro dos Conselhos Universitário e de Ensino e Pesquisa e Diretor do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais. Atualmente é o Coordenador do curso de Mestrado em Ciências Florestais da UNICENTRO. É membro de comitês editoriais e consultor das principais revistas da área florestal no Brasil e de órgãos de fomento à pesquisa como CNPq e Fundações estaduais. É líder e co-lider de grupos de pesquisa cadastrado no CNPq e Membro do Comitê Assessor da Rede de Parcelas Permanentes do Brasil. Atua na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com pesquisas em Floresta Ombrófila Mista e plantios florestais, com ênfase em estudos de dinâmica, modelagem do crescimento e produção, volumetria, inventário florestal e manejo florestal. Foi coordenador e executor de vários inventários florestais em plantios e de extensas áreas nativas no sul do Brasil e na Amazônia. 

NIRO HIGUCHI
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1975), mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná(1978), doutorado em Engenharia Florestal pela Michigan State University(1987) e pós-doutorado pela University of Oxford(1998). Atualmente é Pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Membro de corpo editorial da CERNE (UFL), Membro de corpo editorial da Floresta (UFPR), Membro de corpo editorial da Forest Ecology and Management, Membro de corpo editorial da Revista Árvore (Impresso), Membro de corpo editorial da Scientia Forestalis (IPEF), Membro de comitê assessor do Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas, Membro de comitê assessor do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade, Membro de comitê assessor do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Amazonas, Membro de comitê assessor do Instituto Lasting Initiative for Earth e Membro de comitê assessor da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Unidade de Florestas. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Manejo Florestal. Atuando principalmente nos seguintes temas:Manejo Florestal, Conservação Florestal, Dinâmica Florestal.

JOAO ROBERTO DOS SANTOS
Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1974), mestrado em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais-INPE (1979) e doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1988). Atualmente é pesquisador titular do INPE/MCT, docente do Curso de Pós-Graduação em SEnsoriamento Remoto desse Instituto, atuando como consultor científico "ad hoc" da CAPES, CNPq, FAPESP, FAPEAM, EMBRAPA. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Inventário e Manejo Florestal, com os ferramentais de sensoriamento remoto e sistemas de informações geográficas. A linha investigativa de pesquisa e aplicações envolve o tratamento de dados ópticos e de radar no levantamento e monitoramento da cobertura vegetal, sobretudo nos domínios da floresta tropical e dos cerrados brasileiros. 

ATTILIO ANTONIO DISPERATI (IN MEMORIAN)
Possui graduação em Licenciatura em Ciências pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1969), graduação em Engenharia Florestal pela UFPR - Universidade Federal do Paraná (1971), mestrado em Ciências Geodésicas pela UFPR (1975), doutorado em Geografia - Geography Department, University of London (1981) com bolsa do The British Council, e Pós-doutorado em Sensoriamento Remoto na MARC (Mid America Remote sensing Center) na Muray State University (Kentucky) com bolsa de estudos da Fulbright no período de 1989-1990. Professor Titular aposentado pela UFPR no periodo de 1972-1997. Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), no estado do Paraná, e pesquisador da Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (FUPEF). Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Topografia, Fotogrametria, Fotointerpretação Florestal, Sensoriamento Remoto e Sistemas de Informações Geográficas. É autor de três livros sobre fotografias aéreas de pequeno formato. É orientador em curso de pós-gradução em Ciências Florestais pela UNICENTRO. Desde 1994 é Coordenador dos Seminários de Atualização em Sensoriamento Remoto e Sistemas de Informações Geográficas Aplicados à Engenharia Florestal realizados a cada dois anos em Curitiba, Paraná. Bolsista de Produtividade do CNPq no período de 1991 a 2001 e desde 2009.
  
Nelson Venturini
Possui graduação em Recursos Florestais e Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná(1965), mestrado em Silvicultura pelo Centro Agronomico Tropical de Investigacion y Ensenanza(1971) e doutorado em Ciência do Solo pela Universidade de São Paulo(1978). Atualmente é Outro (Professor Senior, bolsista de produtiv da Universidade Federal de Lavras, Membro do Comitê Assessor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Revisor de periódico da CERNE (UFL), Revisor de periódico da Revista Árvore, Revisor de periódico da Pesquisa Agropecuária Brasileira, Revisor de periódico da Ciência Florestal, Revisor de periódico da Ciência e Agrotecnologia, Revisor de periódico da Floresta (UFPR), Revisor de periódico da Informe Agropecuário (Belo Horizonte) e Revisor de periódico da Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Silvicultura. Atuando principalmente nos seguintes temas:herbicidas em floresta, absorção de nutrientes. 

 GERALDO JOSÉ DOS SANTOS 
(Primeiro Brasileiro a receber o diploma de Engenheiro Florestal na Universidade Federal de Viçosa - UFV)

REINALDO DE JESUS ARAÚJO
(Decano em eng. Florestal no Brasil 'UFV')

ROBERTO RAMALHO
(UFV)

HÉRCIO PEREIRA LADEIRA
  
CESLAVAS ZVINAKEVICIUS

NILSON TADEU SABÓIA DA CUNHA

Mulheres pioneiras na Engenharia Florestal

ALCINA GARDINI MORIC
(primeira Engenheira Florestal do Brasil)

MARIA DAS GRAÇAS FERREIRA REIS
Ela, juntamente com Alcina Moricí, representam algumas das poucas mulheres formadas nas primeiras turmas de engenharia florestal, contribuindo ainda mais para a imagem e papel das mulheres na engenharia.
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1973), mestrado em Ciência Florestal ,pela Universidade Federal de Viçosa (1977) e doutorado em Ciência Florestal: Ecologia Florestal, pela University of British Columbia, Vancouver, Canada (1984). Atualmente é professora titular voluntária no Departamento de Engenharia Florestal/UFV. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Ecologia Florestal e Silvicultura, atuando principalmente nos seguintes temas: ciclagem de nutrientes, fitossociologia, ecologia de fragmentos florestais, classificação ecológica para reflorestamento, desrama artificial, espaçamento, brotação. 

* Informações extras e dados repassados pelos nossos leitores:

OBS 01: Os engenheiros ALTAMIRO MARTINS, WANDERLEY PERDONCINI e LUIZ RENATO MARTINI foram professores do Colégio Florestal de Irati. Professor Altamiro Martins foi o primeiro Diretor do Colégio.

OBS 02: Engenheiros Florestais sem especificação acadêmica, foi devido a não localização dos seus respectivos Currículos Lattes.

 Referencial Teórico
  • Revista Opinião. O Ensino Florestal no Brasil, Sebastião de Amaral Machado.
  • CNPq. Currículo Lattes de cada personagem.
  • Boletim Informativo, Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
  • SNIF – Sistema Nacional de Informações Florestais. 








19 comentários:

  1. Os engenheiros ALTAMIRO MARTINS, WANDERLEY PERDONCINI e LUIZ RENATO MARTINI foram muitos anos professores do Colégio Florestal de Irati. O Altamiro foi o primeiro diretor do colégio. Formaram muitos técnicos florestais.

    Agnaldo José de Mattos


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segue aqui algumas informações a respeito dos 3 e do colégio florestal de Irati:

      http://www.amcespar.com.br/noticias/noticia.asp?id=1392

      Agnaldo José de Mattos

      Excluir
  2. As fotos de Benedito Rocha Vital e Ricardo Mario Della Lucia estao invertidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se na publicação original havia essa inversão, pois do jeito que está, está correto!

      Excluir
    2. Não sei se na publicação original havia essa inversão, pois do jeito que está, está correto!

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Acredito que o Professor Attílio Antonio Disperati deve ser contemplado nesta lista. As contribuições deixadas no campo da fotogrametria florestal foram vísíveis ao Brasil e deixou um legado na qualificação dos engenheiros florestais no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. A foto do Benedito Rocha Vittal, na realidade é a foto do Professor Ricardo Marius Della Lucia. Corrigir

    ResponderExcluir
  5. Faltou o Prof. Hércio Ladeira

    ResponderExcluir
  6. Cadê o Prof. Roberto Ramalho

    ResponderExcluir
  7. Para ajustar a lista sugerimos utilizar o livro A Engenharia florestal da Universidade Federal do Paraná: História e Evolução da Primeira do Brasil. Editores: José Henrique Pedrosa Macedo e Sebastião do Amaral Machado. Publicado em 2003.

    ResponderExcluir
  8. Faltou o professor Jose Antonio Aleixo da Silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Professor Aleixo tem formação em agronomia, amigo!

      Excluir
  9. Pessoal, Bom Dia!

    Dando uma passeada pelo site de Vocês, vendo a parte dos Profissionais (Professores), notei que trocaram as informações dos professores: Amaury Paulo de Souza X Osvaldo Ferreira Valente. Troquem os Blocos de texto ou mudem a foto do Prof. Valente para o Bloco Abaixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ok já realizamos a mudança obrigado por informar.

      Excluir
  10. Entre muito pioneiros notei falta dos professores Nairan Felix de Barros (Solos Florestais); professor Pereirinha (Tecnologia Florestal); Professor José Lívio Gomide (Celulose)- in memérian; Professor Antonio Bartolomeu do Vale, entre outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Satisfação AREF,

      Faremos averiguação dos mesmos e acrescentaremos à Lista,
      Muito obrigado,

      Continue acessando o Central Florestal,

      Cordialmente,

      Excluir
  11. Entre muito pioneiros notei falta dos professores Nairan Felix de Barros (Solos Florestais); professor Pereirinha (Tecnologia Florestal); Professor José Lívio Gomide (Celulose)- in memérian; Professor Antonio Bartolomeu do Vale, entre outros.

    ResponderExcluir
  12. Senti falta de uma melhor descrição do professor Roberto Ramalho, formado na primeira turma de Engenheiros Florestais do Brasil. Na realidade uma lenda viva e fonte de inspiração para muitos floresteiros dos dias de hoje.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.