Assinado pelo engenheiro agrônomo e silvicultor Paulo Ferreira de Souza considerado o principal responsável pela criação do primeiro curso de engenharia florestal no país


O documento intitulado “Histórico da Escola de Florestas U.F.P relatório de Atividades 1960 – 1961”, publicado em Viçosa, Minas Gerais, em 1961, foi elaborado pelo Engenheiro Agrônomo e Silvicultor Professor Paulo Ferreira de Souza, onde é apresentada uma descrição detalhada da história da criação da Escola Nacional de Florestal e do primeiro curso de engenharia florestal no Brasil.  

Dr. Paulo F. de Souza é considerado o principal mentor responsável pelo primeiro curso de engenharia florestal no Brasil. O documento completo que pode ser acessado ao final da matéria, apresenta 5 páginas em arquivo digital PDF e é datado do dia 16 de maio de 1961.

A primeira Escola de Silvicultura que se tem notícias foi criada na Alemanha (região de Zillbach) e formava especialistas em Ciência Florestal, criada em 1786 pelo mestre-escola Heinrich Cotta. Em 1811, com a aplicação da engenharia para a renovação dos recursos florestais, a Escola foi transferida de cidade e transformada na Academia Florestal de Tharandt que, anos mais tarde, seria elevada a Academia Real da Saxônia, berço do ensino florestal no mundo. A Alemanha confirmou o seu pioneirismo na Engenharia Florestal com a criação da Universidade de Gissem em 1825, Academia de Eberswald e Academia Florestal de Eisenach em 1830, seguidas de mais três Universidades, Carlsruhe, Munich e Tubigem, fundadas poucos anos depois e que também ministravam o curso. A partir de então, outros países da Europa passaram a oferecer o curso de Engenharia Florestal, que atualmente conta com pelo menos uma escola para cada país do continente.

Na América latina, o México foi o primeiro país a estabelecer o ensino florestal superior, criando a carreira florestal em 1909 na Escola Nacional de Santa Fé e Coyacan, graduando os primeiros florestais em 1911. Foi em 1948, na Venezuela, que surgiu a Faculdade de Engenharia Florestal de Los Andes, ano em que ocorreu a I Conferência Latino-Americana Florestal e de Produtos Florestais, realizada em Teresópolis, no Brasil. Nessa ocasião, foi recomendada a criação do Instituto Latino-Americano de Ciências Florestais e a criação de cursos de Engenharia Florestal, inclusive no Brasil, segundo os modelos norte europeu e americano.

Mas foi em Curitiba que houve a primeira proposta formal de criação da Escola Nacional de Florestas, como resultado do I Congresso Florestal Brasileiro promovido pelo Instituto Nacional do Pinho, criado em 1941. A proposta de 19 de setembro de 1953 apontava até o possível local de instalação da escola: “considerando que o Governo Federal mantém no km 47 da antiga rodovia Rio - São Paulo, uma Universidade de assuntos rurais, a qual possuindo amplos edifícios, é constituída de apenas duas escolas – Agronomia e Veterinária, propomos ao I Congresso Florestal que recomende ao Congresso Nacional a decretação de uma lei criando a Escola Nacional de Florestas”.

Em 1958, o estudo encomendado pelo Ministério da Agricultura intitulado “Escola Nacional de Florestas: necessidade de sua criação, o Agrônomo-Silvicultor Paulo Ferreira de Souza justificou a necessidade da criação de uma escola de Engenharia Florestal no Brasil.

Em 04 de março de 1960 o decreto de criação da Escola Nacional de Floresta foi assinado durante uma solenidade festiva em praça pública na presença de milhares de testemunhas, porém, este documento se perdeu provavelmente devido as condições de transferência da capital da república para Brasília. Mas, finalmente a Escola Nacional de Florestas (ENF) é criada (em Viçosa – MG) através do decreto n° 48.247, de 30 de maio de 1960, assinado pelo Presidente Juscelino Kubitschek já na nova capital e publicado no diário oficial aos vinte dias do mês seguinte.

Documento histórico de Paulo Ferreira de Souza

O documento intitulado “Histórico da Escola de Florestas U.F.P - relatório de Atividades 1960 – 1961”, publicado em Viçosa (MG) em maio de 1961, revista Floresta e elaborado pelo Engenheiro Agrônomo e Silvicultor Professor Paulo Ferreira de Souza, apresenta uma descrição detalhada da história da criação da Escola Nacional de Florestal e do primeiro curso de engenharia florestal no Brasil. 

Em 1958 a Comitiva da FAO esteve em Brasília, chefiada por Paulo Ferreira de Souza e pelo Dr. Wanderbilt Duarte de Barros e foram recebidos, pelo então Presidente da República, Juscelino Kubitschek de Oliveira, para o qual expuseram o tema da criação da Escola Nacional de Florestas. Desejavam que fosse localizada em Seropédica. Juscelino concordou com a criação mas determinou que fosse implantada em Viçosa, MG. Finalmente em 1960 a escola foi criada com o nome de ENF, Escola Nacional de Florestas.

O documento completo pode ser baixado no link abaixo, em versão PDF. Aproveite a leitura!


Informações obtidas em:

Lima, Suelen Marquione. Evolução da criação dos Cursos de Engenharia Florestal no Brasil. Monografia. Graduação em engenharia florestal UFRRJ, 2008. Disponível em: http://www.if.ufrrj.br/inst/monografia/2007II/Suelen%20Marquione%20Lima.pdf

Entrevista Central Florestal. Disponível em: http://www.centralflorestal.com.br/2016/11/exclusivo-entrevista-com-professor-dr_17.html

Entrevista Central Florestal. Disponível em:  http://www.centralflorestal.com.br/2017/07/quem-viu-nascer-engenharia-florestal-no.html

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem