Ads Top

Como montar uma serraria?

A gestão do processamento mecânico da madeira e da serraria são competências do profissional engenheiro florestal


Em prosseguimento a série sobre as grandes áreas da Engenharia Florestal, na matéria de hoje vamos tratar do processamento mecânico da madeira, especificamente sobre como montar uma serraria.
O setor brasileiro de florestas tornou-se, nos últimos anos, um dos mais relevantes no cenário global. Com uma área de 7,8 milhões de hectares de árvores plantadas, é responsável por 91% de toda a madeira produzida para fins industriais no País e um dos que apresenta maior potencial de contribuição para a construção de uma economia verde. Produtos de origem florestal estão presentes no nosso dia a dia e vão desde os mais evidentes, como papel e móveis, até produtos de beleza, medicamentos, alimentos e roupas. Entre os segmentos que usam a madeira como principal matéria-prima, podemos citar o de celulose e papel, o de painéis de madeira, o de pisos laminados, o de serrados e compensados, o de siderurgia a carvão vegetal e o de energia. Já no setor de bens de consumo, destacam-se as indústrias gráfica, de embalagem, moveleira, química, têxtil e farmacêutica e a construção civil.
A desaceleração da construção civil nacional levou a uma queda no consumo doméstico de madeira serrada, que passou de 8,0 milhões de metros cúbicos em 2014 para 7,2 milhões em 2015. Consequentemente, a produção brasileira de serrados oriundos de árvores plantadas recuou 4,3% em relação ao ano anterior, e atingiu 8,8 milhões de metros cúbicos. Entretanto, em decorrência da desvaloriza- ção do real frente ao dólar, houve um aumento das exportações de madeira serrada. Em 2015, houve crescimento de 28% em relação a 2014, totalizando 1,6 milhão de metros cúbicos exportado.
O Fluxograma abaixo apresenta todas etapas do processamento da madeira em suas fases desde obtenção, até o consumidor final.

Figura: Ebah

O que é uma serraria ou uma madeireira?

A serraria ou a madeireira são as empresas responsáveis por realizar o beneficiamento industrial de peças de madeira, mas ainda no estágio em que se encontram logo após o corte, quando ainda estão no formato de toras. É o primeiro contato industrial da matéria logo após a extração.
A empresa é comumente composta por um pátio de toras, um galpão de máquinas e um depósito para que a madeira serrada seque e possa ser armazenada. A madeira serrada é o produto final, que é uma indústria de base. Ela encaminha este produto para as indústrias de transformação, moveleiras e outras, para que a madeira seja convertida em outros produtos de consumo.
A matéria prima de uma madeireira são as toras, ainda brutas. Este material é proveniente de florestas plantadas ou nativas. Independentemente da fonte da madeira, é importante que a empresa fique localizada próxima à área de onde as árvores são extraídas, para facilitar o processo de transporte.
No cenário madeireiro do Brasil, a grande maioria do mercado é composto por empresas de pequeno porte que adquirem a madeira de agricultores de florestas de replantio ou de florestas nativas. As empresas grandes, que possuem áreas próprias para o manejo, o plantio e a extração da madeira são minoria no mercado nacional.
A classificação do mercado das serrarias e madeireiras compreende três categorias de acordo com o porte do negócio: As pequenas, cuja produção de toras desdobradas por dia é de até 50 metros quadrados. As médias, na qual a produção de toras desdobradas chega a uma área de até 100 metros quadrados, enquanto as grandes são as que ultrapassam essa produção diária de toras desdobradas.

 

O plano de negócios e seus aspectos

 

As ações não podem ser tomadas de forma instintivas ou mesmo espontâneas em seu negócio. Para todas as estratégias, sejam as iniciais ou as que devem permanecer a longo prazo, é importantíssimo estudar e planejar cada passo dado para que o crescimento e a evolução da empresa sejam sustentáveis e regulares. Um bom plano de negócios envolve muita coisa. Envolve estudo de local, de público, de concorrência, de mercadorias, de riscos, ameaças, forças e fraquezas (Análise SWOT), análise financeira, capital de giro, gestão de pessoal, gestão de mercadorias, gestão de estoque e etc.

Localização


A localização é um fator essencial para qualquer negócio, e especialmente quando se fala em serrarias ou madeireiras, o local de suas instalações é muito importante. Via de regra, salvo raras exceções, as serrarias e madeireiras ficam localizadas próximas aos fornecedores de toras. É importante levar em conta que pouco mais da metade da tora bruta é aproveitada enquanto madeira serrada, por isso, se a empresa ficar muito longe dos fornecedores, é como se o empreendimento dedicasse uma quantia considerável de recursos em transportar resíduos.
Contudo, esta proximidade com o fornecedor também não é uma regra inflexível. A depender do contexto, pode ser mais vantajoso instalar a empresa próxima ao mercado consumidor ao invés do fornecedor. Tudo vai ser condicionado pelas circunstâncias do local. Prefira instalar sua serraria ou madeireira em uma local com abundância de mão de obra e em um local onde os funcionários possam acessar com facilidade. O ponto do negócio deve possuir amplo espaço, pois será visitando constantemente por caminhões e deve também ter área suficiente para conter o estoque tanto de matéria prima como de madeira serrada.
Leve em conta ainda outros fatores adicionais ou extraordinários, como as condições das estradas de acesso e das instalações internas para os dias chuvosos. A lama pode atrapalhar consideravelmente a logística do trabalho. Veja se o local conta com um suprimento de energia adequado para as atividades, pois lembre-se que boa parte do maquinário utiliza eletricidade. Se for adquirir um imóvel ou mesmo alugar um ponto, veja se a situação daquela propriedade realmente está regular para não ter problemas com os órgãos autárquicos. Ainda com relação às estruturas do Governo, avalie ainda a carga tributária do local para ver se a região realmente é rentável para os investimentos.

 

Requerimentos legais e específicos do setor


Toda empresa tem algumas exigências burocráticas a cumprir, seja no momento da abertura, como ao longo de todo o seu funcionamento. As exigências genéricas legais serão demonstradas neste tópico, mas já tenha em mente que a atividade de madeireiras e serrarias exige licenciamento ambiental para ser realizada. Avalie o peso deste licenciamento ambiental na viabilidade do negócio.
Adicione à questão ambiental uma possível legislação específica municipal do local onde se pretende instalar o empreendimento. Afinal, é importante lembrar que uma serraria ou madeireira, por mais que pequena, gera poeira, barulho e tráfego de veículos pesados. Mesmo que a lei do município permita a instalação deste tipo de negócio, é possível que ela exija alterações estruturais que podem encarecer e muito a instalação, diminuindo a viabilidade do negócios. Análise todos estes fatores antes mesmo da aquisição do imóvel onde operará a serraria e madeireira.
Tome cuidado também no momento de se adquirir a matéria prima, ou seja, as toras. Quando o material é oriundo de plantio ou reflorestamento, até não há grandes problemas, mas madeiras oriundas do extrativismo podem ser um tiro no pé. Analise com atenção os certificados e notas fiscais dos produtos, pois é comum que fraudadores falsifiquem estes documentos. Desconfie de mercadorias abaixo do preço de mercado e busque sempre negociar com agricultores conhecidos no setor.
Atente para as obrigações legais, aplicadas sobre a abertura e o funcionamento de qualquer empresa. É necessário se registrar e regularizar perante os seguintes órgãos: junta comercial regional, Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), Secretaria Estadual da Fazenda, Alvará de Funcionamento junto à Prefeitura Municipal, Entidade Sindical Patronal, cadastro no INSS/FGTS, e regulamentação da vistoria pelo Corpo de Bombeiros Militar. Para estas atividades, é recomendado que se conte com o trabalho de um contador devidamente qualificado.

 

Estrutura física do negócio


Uma serraria e madeireira conta com as seguintes estruturas, na maioria dos casos: um pátio para toras, um setor de secagem, um setor de processamento, um depósito para os produtos e outro para os resíduos, além da área administrativa.
No pátio das toras é onde se recebe e se armazena a matéria prima vinda dos fornecedores. Este local é o maior espaço da empresa, e mesmo para empreendimentos de pequeno porte, ele deve ter pelo menos 4.000 m².
O setor de processamento é o local onde as toras são serradas. Este espaço precisa ser coberto, e suas medidas variam de acordo com a produção que se pretende atingir e o nível de automatização de sua empresa. As medidas podem variar de 200 m² a 1000 m².
O setor de secagem é o local onde as madeiras, já serradas, ficam para secar. Não são todas as madeireiras que oferecem a secagem, no entanto ela melhora a qualidade e aumenta o valor do produto para a venda. Cobrir ou não este espaço vai depender do tipo de madeira que é secada ali. Eucaliptos costumam secar ao ar livre, enquanto que as madeiras nobres devem ser secas em galpões. Medidas variam de 100m² a 500 m².
Na área de produtos é onde fica armazenado o seu estoque para vendas. São as madeiras já beneficiadas (serradas e secas), prontas para a venda e o respectivo despacho para o comprador. O espaço deve variar entre 100 m² e 500 m², dependendo de seu estoque, e deve ser coberto. Algumas mercadorias, mais resistentes, podem prescindir de cobertura se estiverem sob lonas.
No depósito para resíduos ficam as cascas, a serragem e outros restos da madeira que não possuem utilidade para venda ou beneficiamento. Pode ter em média 200 m². A indústria da madeira gera um alto índice de resíduos, pois apenas pouco mais de metade da matéria prima acaba por se tornar produto final. Por isso é importantíssimo realizar um bom aproveitamento destes resíduos e utilizá-los a favor de sua empresa.
Para isso, uma das opções é fabricar briquetes a partir destes resíduos. Os briquetes são pequenas partes de resíduos de madeira compactada, cuja combustão pode ser utilizada para a geração de energia. É uma das maneiras mais inteligentes de se reutilizar os resíduos, além de preservar ao meio ambiente.
A área administrativa é onde fica o departamento gerencial e comercial da empresa. Nele ficam ainda instalações como vestiários, banheiros e refeitório. Sua área pode mudar de acordo com o número de empregados, mas costuma ter em torno de 100m².

 

Capital humano


Os colaboradores da empresa são uma das chaves para o sucesso do empreendimento. Para isso, é importante contratar pessoas capacitadas e preferencialmente experientes na realização dos serviços para os quais serão admitidos. Para uma empresa com faturamento mensal entre R$ 50 mil e R$ 100 mil e com baixo nível de automação, entre 5 a 10 funcionários devem ser suficientes para manter o negócio em pé e funcionando em velocidade de cruzeiro.
Para o setor administrativo e comercial, é possível empregar um ou dois funcionários. Três a seis podem fazer os serviços de produção, como operar os equipamentos e serrar as madeiras. Mais um ou dois ficam encarregados de auxiliar em serviços gerais como limpeza dos ambientes, carga e descarga. Cada um destes funcionários vai onerar a empresa em um valor que gira entre R$ 1.200 e R$ 1.600.
Para este negócio, reserve especial atenção aos colaboradores que ficarão na área industrial do empreendimento. Eles estão expostos a riscos e condições de trabalho que podem prejudicar a saúde se realizadas de maneira inadequada. Treine-os para que sempre utilizem dispositivos e procedimentos de segurança. Prefira também uma parceria societária ou contratar um supervisor que entenda de serviços madeireiros. Ele pode auxiliar na parte da segurança do trabalho.

 

Equipamento e maquinário


A parte de máquinas de seu empreendimento será responsável por boa parte do investimento realizado sobre o negócio em um primeiro momento. No total, podem ser gastos até R$ 120.000 reais entre máquinas utilizadas para o corte, armazenamento, secagem e para o setor administrativo. Veja na sequência alguns detalhes destes maquinários.
Para a parte de produção, serão necessários uma pá mecânica, uma empilhadeira de toras, uma destopadeira, uma esteira transportadora, uma plaina, uma serra fita vertical, um porta-toras, uma serra circular e dois carrinhos manuais para transporte. Os demais equipamentos são móveis de escritório em geral. Mesas, cadeiras, computadores, armários e outros utensílios comuns a qualquer setor administrativo.

 

Matéria-prima


A matéria-prima das serrarias e madeireiras pode ser dividida em três grandes grupos: pinus, eucalipto e madeiras nativas. Os pinus são a madeira mais comum no sul do país, tem coloração clara e apresentam usos bastantes variados, desde a extração de resina a até mesmo utilização na indústria moveleira. O eucalipto, por sua vez, é mais comum na região sudeste. Sua madeira é resistente, mas pode ser difícil de serrar e secar. As madeiras nativas são vindas da Amazônia, e podem ser de diversas espécies vegetais. São nobres e costumam ser utilizadas pela indústria moveleira. Exigem cuidados especiais de secagem, corte e armazenamento.

 

Lembre-se que o planejamento correto do negócio florestal é a chave para aumento de produção por ganho de produtividade!




*  EGestor (http://blog.egestor.com.br/)
*Relatório IBÁ 2016 (http://iba.org/images/shared/Biblioteca/IBA_RelatorioAnual2016_.pdf)

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.