Ads Top

A origem do uso dos pinheiros como árvores de natal


A tradicional árvore de natal é um pinheiro ou abeto e é tradicionalmente utilizada nas comemorações de natal em todo o mundo
 
Pinheiros naturais vendidos no mercado canadense



Os pinheiros, abetos, espruces e outras coníferas tem sido tradicionalmente usado para celebrar festivais de inverno (pagãos e cristãos) por milhares de anos. A tradição da Árvore de Natal tem raízes muito mais longínquas do que o próprio natal. Os romanos enfeitavam árvores em honra de Saturno, deus da agricultura, mais ou menos na mesma época em que hoje preparamos a Árvore de natal. Os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano (que é em dezembro), como símbolo de triunfo da vida sobre a morte. Nas culturas célticas, os druidas tinham o costume de decorar velhos carvalhos com maças douradas para festividades também celebradas na mesma época do ano.
Ninguém tem certeza quando os abetos foram usados ​​pela primeira vez como árvores de Natal. Provavelmente começou há cerca de 1000 anos no norte da Europa. Muitas Árvores de Natal antigas parecem ter sido penduradas de cabeça para baixo no teto usando correntes (penduradas em lustres / ganchos de iluminação).
Segundo a tradição, São Bonifácio, no século VII, pregava na Turíngia (uma região da Alemanha) e usava o perfil triangular dos pinheiros como símbolo da Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Assim, o carvalho, até então considerado como símbolo divino, foi substituído pelo triangular abeto.
Durante o século XIX a árvore de Natal se começou a difundir pelo resto do mundo, muito graças à contribuição da monarquia britânica. O príncipe Alberto, o marido de origem alemã da rainha Vitória, montou uma Árvore de Natal no palácio real britânico. Foi então tirada uma fotografia da família real junto à árvore, fotografia essa que foi publicada na revista “Illustrated London News”, no Natal de 1846.
   
Príncipe Alberto e família junto à Árvore de Natal no palácio real britânico - (Natal de 1846) 

Mais tarde, quando da expansão do cristianismo na Europa, esta festa foi adaptada aos usos cristãos, e assim o pinheiro entrou nas nossas casas, transformando-se em árvore de Natal
No Brasil, muito tem sido utilizado a espécie Tuia Holandesa, chamado apenas por tuias, nome dado para alguns tipos de coníferas (“pinheiros”), suas características são os troncos quase retos e folhas compostas de vários filamentos formados por pequenas escamas verdes, devido ao molde de crescimento da planta para ficarem em forma de cones bem esticados. Pelo valor comercial e beleza cênica, a espécie tem sido bastante demandada.
...
E aí floresteiro, o que achou dessa matéria? Deixe sua opinião ela é importante para nós.

Com informações de:
https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/12/141223_vert_earth_natal_arvores_ml





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.