Ads Top

Colheita e Transporte Florestal


Primeira matéria da série de postagens que destacará todas as grandes áreas e subáreas da Engenharia Florestal. Hoje trataremos da colheita e transporte florestal, e sua importância para o setor florestal, você conhecerá os principais métodos de colheita e transporte de toras, além de que impressionar-se-á com as grandes máquinas utilizadas para o corte e processamento da madeira.

UM POUCO DE HISTÓRIA
A história da Colheita Florestal no Brasil remonta desde a época do descobrimento do país, onde teve grande importância sócio – econômica, pelo fato principalmente de ter gerado divisas financeiras à metrópole com a venda do pau brasil para a extração de um corante vermelho, para as fábricas têxteis localizadas na Europa e também por estar associada à expansão demográfica, pois resultou ao mesmo tempo em um consumo dos recursos madeireiros no país e favorecendo o seu desenvolvimento, onde não visou de certa forma o manejo sustentável das florestas, e sim uma extração predatória, levando a inviabilização da colheita florestal em biomas como a Mata Atlântica, que de sua área total, atualmente resta cerca de 8%. 
Com a introdução de espécies exóticas dos gêneros Pinus e Eucaliptus para fins comerciais, houve uma redução na pressão exercida pelo homem em cima das florestas naturais, favorecendo o cultivo dos gêneros exóticos, o que por um lado levou as florestas nativas a conservação.

Atualmente a colheita está tecnologicamente avançada, onde a partir do ano de 1990, o setor florestal começou a importar maquinários da Europa e dos Estados Unidos da América (EUA), como por exemplo, os harvesters e os feller-buncher, para o corte e processamento de reflorestamento com espécies exóticas facilitando e otimizando o processo. Em áreas de mata nativa a derrubada das árvores corte está associado ao corte com motoserras e a extração de dentro da floresta (arraste) com tratores modificados para a área florestal e com skidders.

MAS O QUE VEM A SER COLHEITA FLORESTAL?

A Colheita florestal visa preparar e levar a madeira até o local de transporte, fazendo-se o uso de técnicas e padrões estabelecidos, com a finalidade de transformá-la em produto final. A colheita de madeira, utiliza técnicas e padrões  preestabelecidos, sendo que as etapas mais importantes são: corte, extração, transporte e o descarregamento.
Corte: compreende as operações de derrubada, desgalhamento, destopamento, traçamento das árvores em toras ou toretes e empilhamento (enleiramento ou embandeiramento) da madeira. Constitui a primeira fase de um sistema de colheita da madeira e, exatamente por isso, reveste-se de grande importância, uma vez que afeta significativamente o sucesso nas fases subsequentes do processo. 

Extração (ou baldeio): de todas as fases da colheita é tida como a etapa mais complexa e onerosa, principalmente em terrenos acidentados. Corresponde ao processo pelo qual a madeira é retirada de dentro do povoamento florestal (área de corte) para os locais de armazenagem provisória (pátio de estocagem ou estaleiro, carreador ou margem da estrada). Pode existir uma etapa opcional entre as atividades de corte e extração que objetiva separar a casca do tronco, denominada descasque. A sua necessidade ou não depende do uso final a que será destinada a madeira.

Transporte principal: operação responsável pela movimentação da madeira dos locais de armazenagem provisória aos locais de sua utilização.

Descarregamento: elo entre o transporte principal e o destino da madeira.

MAS E A COLHEITA COMO É FEITA?
Existe alguns sistemas que as empresas do setor utilizam na hora de colher a madeira em campo, esse processo é dividido em:

 Sistema de toras curtas: todas as operações são realizadas no campo de corte com a madeira sendo preparada em toras. É o sistema predominante no Brasil, tanto em locais planos como acidentados.

Sistema de toras longas: a árvore é derrubada e apenas o desgalhamento e o destopamento são realizados no canteiro de corte. O acabamento final da madeira (descascamento, toragem e seleção) é executado na estrada ou em um pátio intermediário de processamento.

Sistema de árvores inteiras: a árvore é derrubada e apenas o desgalhamento e o destopamento são realizados no canteiro de corte. O acabamento final da madeira (descascamento, toragem e seleção) é executado na estrada ou em um pátio intermediário de processamento.

Sistema de cavacos de madeira: transformação da árvore inteira ou toras em cavacos, operação que pode ser realizada por processadores móveis no próprio povoamento florestal.

QUAIS SÃO AS MÁQUINAS UTILIZADAS NESTES PROCESSOS DE COLHEITA E TRANSPORTE FLORESTAL?
São várias as opções que podem ser empregadas nas operações de colheita florestal, mas os principais modais são harvester + forwarder, feller-buncher + skidder em sistemas de toras longas ou árvores inteiras, e motosserra + cabo aéreo, empregado em áreas declivosas.








Essa foi a primeira matéria da nossa série das grandes áreas da engenharia florestal, fique ligado no Central Florestal, semana que vem tem mais.

SAIBA MAIS
Central Florestal lança série de matérias sobre as áreas de atuação da eng. florestal






*E você leitor tem alguma dica, sugestão para atualizarmos a matéria? Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós.
[no-sidebar]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.