Ads Top

Porque falamos tão pouco sobre as torres de observação florestal?

Também conhecidas como guaritas, elas são fundamentais no monitoramento florestal e detecção de focos de fumaça ou incêndios



A ocorrência de incêndios florestais é motivo de preocupação dos manejadores florestais e tomadores de decisão, dentre os vários procedimentos utilizados para redução das causas dos incêndios, a vigilância ou a fiscalização é imprescindível em qualquer planejamento de proteção florestal, para isso as torres de monitoramento podem ser imprescindíveis. Por ser temática pouco abordada no setor e de tal forma na academia, é que a Central Florestal elaborou essa revisão, a mostrar a evolução das torres desde seus primeiros usos, até a atualidade, com câmeras e sensores acoplados para detecções de alta precisão.
As torres de observação ou guaritas florestais, geralmente instaladas pelas empresas em áreas de povoamentos comerciais, ou em unidades de conservação, elas são muito importantes para observação e detecção de focos de incêndios ou fumaça, de tal forma que se possa antecipar as ações de controle e combate e, evitar-se maiores danos ambientais, econômicos e sociais.

Onde surgiu a ideia das torres florestais?
A história das torres de observação de incêndios antecede o Serviço Florestal dos Estados Unidos, fundado em 1905. Muitos municípios, empresas madeireiras privadas e organizações florestais estaduais operavam torres de observação contra incêndios por conta própria já no início dos anos 1900.
Embora muitas torres de observação de incêndios tenham caído em desuso devido à negligência, abandono e declínio dos orçamentos, alguns funcionários do corpo de bombeiros americano, fizeram um esforço para preservar as antigas torres de incêndio, argumentando que um bom conjunto de olhos humanos observando a floresta em busca de incêndios florestais pode ser uma medida eficaz e barata de segurança contra incêndios.

Uma das primeiras torres de monitoramento utilizada nos EUA no início dos anos 1900
Uma torre de observação de incêndios é conceitualmente uma estrutura metálica ou de madeira, que fornece alojamento e proteção para uma pessoa conhecida como “guarda florestal" ou “vigia de incêndio", cujo dever é estar atento aos incêndios, ou focos de fumaça. As torres geralmente são edifícios pequenos, muitas vezes localizado em sítios estratégicos de um plantio florestal, ou em áreas nativas, sobre o cume de uma montanha ou outro ponto alto, a fim de maximizar a distância de visão e alcance. A típica torre de observação consiste em uma pequena sala, conhecida como uma cabine localizada no topo de uma grande torre de aço ou madeira.
Tecnologia em torres para monitoramento florestal
Da década de 1960 até a década de 1990, as torres ficaram em segundo plano em relação a novas tecnologias, aeronaves e melhorias nos rádios. Seguindo o avanço do setor florestal no Brasil, inovações em equipamentos de alta precisão tem sido utilizada com sucesso para detecção de fumaças ou focos de incêndios.
A empresa brasileira COALTECH, desenvolveu um sistema conhecido por SYSFOREST, que dispensa o uso de torristas ou detecção manual de focos de fumaça/incêndios em florestas plantadas ou áreas nativas, tais como Unidades de Conservação, de modo a poupar-se tempo e dinheiro.
Modelo inovador de torre automatizada do SYSFOREST
O SYSFOREST utiliza um sistema avançado de prevenção contra incêndios de pequena, média e grande escalas, utilizando-se de inteligência computacional, a partir de torres de monitoramento equipadas com câmeras Full HD e infravermelhas ou térmicas, estação meteorológicas e repetidoras para radiocomunicação. Todos os dados são criptografados e enviados a uma central de monitoramento, onde profissionais especializados estarão atentos a qualquer eventualidade.
A empresa oferece três opções de detecção, a Versão Smoke (detecção de sinais de incêndios e envio à central), Versão Termal (de forma autônoma, uma câmera térmica varre o horizonte emitindo um sinal de alerta quando detecta algum incêndio, e uma segunda câmera dá ao operador o suporte visual) e a Versão Híbrida, o sistema trabalha com as duas câmeras simultaneamente, fazendo a detecção e indicando os potenciais focos. 
O SYSFOREST dispõe de sensores e câmeras de detecção de fumaças em pontos estratégicos da floresta ou área agrícola.

Veja alguns exemplos de torres pelo mundo

Primeiro modelo de torre de observação 

Torre metálica americana


Torre formato espiral


Torre em estrutura de pedras, Reino Unido.

Torre de madeira

Torre de madeira

Torre sobre ponto mais alto de uma montanha

Tradicional torre de observação brasileira, em floresta plantada

Torre em floresta amazônica, Brasil.

Para descobrir mais sobre o sistema SYSFOREST, apresentado no penúltimo ítem, sobre tecnolgias em torre com câmera acoplada para monitoramento florestal e detecção de focos de fumaça, acesse a página da empresa no site (https://coaltech.com.br/sysforest-monitoramento-florestal.html).

Para maiores informações acesse ainda a página da COALTECH no facebook, clicando aqui.

Palavras-chave: Monitoramento florestal, detecção de fumaça, incêndios florestais, torres de observação florestal, sysforest, coaltech, detecção de fumaça florestal, detecção de fumaça, câmeras.

Fontes utilizadas nessa matéria:

Serviço Florestal dos EUA - https://www.fs.fed.us/

COALTECH - https://coaltech.com.br/sysforest-monitoramento-florestal.html


https://ffla-sandiego.org/highpoint/

2 comentários:

  1. Muito bom o conteúdo. Achei muito interessante esse modelo de utilização de câmeras.

    ResponderExcluir
  2. As torres são de estrema importância nas plantações florestais porque com eles conseguimos detectar o ponto por onde começa o incêndio e por onde ela está a se propagar, e assim podemos arranjar mecanismos de como combater o

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.