A silvicultura tornou-se uma atividade econômica expressiva no Brasil. Em 2020, a área total de árvores plantadas totalizou 9,55 milhões de hectares, um recuo de 1,4% em relação ao dado revisado de 2019, que ficou em 9,69 milhões de hectares.

Nesse contexto, a realidade dos silvicultores tem sido modificada diariamente com a inserção da tecnologia no campo, elevando os patamares de produtividade e de competitividade a níveis nunca atingidos anteriormente. Se os resultados atuais já são surpreendentes, o que esperar com o avanço da Inteligência Artificial na floresta?


A Inteligência Artificial hoje

O dia a dia do silvicultor foi moldado pela expansão da Floresta 4.0, mas as novas propostas proporcionadas pela IA (Inteligência Artificial) vão muito além do que está sendo utilizado atualmente.

A inovação trazida pela IA tem como objetivo expandir a capacidade de coleta e interpretação de dados de forma a correlacionar variáveis que influenciam diretamente na produtividade e nos resultados obtidos, mas que, até o momento, são tratadas como independentes e têm gerado interpretações parciais e com resultados inferiores aos que poderiam ser obtidos.

A elaboração de inventários florestais, por exemplo, é uma das atividades que já utiliza dos recursos da IA para obter resultados melhores em menor intervalo de tempo. 

Com o uso de tecnologias como o sensor LIDAR (Light Detection And Ranging), RNA (Redes Neurais Artificiais) e processamento de imagens (Sensoriamento Remoto e SIG), algumas empresas do mercado de base florestal já têm entregado inventários completos com maior precisão em até um quinto do tempo gasto originalmente.

Além dos inventários florestais, o uso da Inteligência Artificial e das tecnologias associadas ao “Big Data & Analytics”, têm o potencial de permitir um processamento de dados muito maior e mais rápido, com melhor qualidade da informação gerada. Isso porque, com o “Machine Learning” e a capacidade das máquinas em identificar padrões e correlações complexas em níveis detalhados, a análise das variáveis que determinam a produtividade de uma floresta é muito mais precisa, a ponto de gerar modelos e projeções de resultados muito mais fidedignos aos obtidos no campo.


Os robôs já chegaram à floresta

Inteligência artificial tem monitorado com sucesso áreas florestais e pode reduzir incêndios em até 90%

Esses já não são novidades para ninguém e, estão cada vez mais presentes em nosso dia a dia, com perspectivas de uso futuro muito promissoras.  Uma empresa de Hong Kong criou um robô com tecnologia inovadora que pode detectar incêndios muito menores do que os sistemas de satélite e, dar o alerta.

O robô chinês tem duas câmeras, uma é a câmera de imagem térmica e a outra é a câmera de luz visível. A câmera de imagem térmica capta 50 frames por segundo (FPS), utilizando um algoritmo patenteado é possível analisar a presença de calor através da imagem.

De acordo com os fabricantes Insight Robotics de Hong Kong, este é o sistema de detecção de incêndios mais avançado que existe.


Reprodução: Youtube

Usando sensores térmicos de imagem e avançada tecnologia de visão artificial, o robô pode detectar incêndios em áreas pequenas, como, por exemplo, 2 metros por 1 metro, dentro de um raio de cinco quilômetros; cobrindo cerca de 80 quilômetros quadrados de floresta e área de habitação. 

Depois de detectar o fogo, a equipe faz sua geolocalização usando um Sistema de Informação Geográfica. Identificando a localizando do fogo no mapa, para que os operacionais, os bombeiros, possam ver onde está o fogo e atacar.


SYSGUARÁ: sistema brasileiro inovador de monitoramento florestal

Assim como o robô chinês e os sensores inteligentes, a I.A está presente em câmeras de monitoramento florestal, destacamos aqui o SYSGUARÁ que é um conjunto de equipamentos desenvolvidos pela empresa brasileira Com3Engenharia. Por meio de câmeras de alta resolução, instaladas em torres, é possível monitorar 24 horas por dia a área florestal das empresas e reduzir em até 90% os incêndios e prejuízos econômicos e ambientais.

Trata-se de sistema/software dedicado ao videomonitoramento florestal e agrícola baseado em recursos de vídeo com machine learning e transmissão de imagens e dados de altíssima tecnologia, sendo capaz de monitorar em tempo real grandes extensões de floresta plantada ou nativa, de forma segura, precisa e confiável. 

Tecnologia brasileira combina machine learning, transmissão de imagens e dados de alta tecnologia para evitar prejuízos financeiros e ambientais em áreas agrícolas e reflorestamento.

O sistema, que utiliza câmeras instaladas em torres distribuídas em pontos estratégicos da base florestal, transmite imagens em tempo real para a central de monitoramento, onde um operador atua na detecção dos focos de incêndios e aciona as equipes de combate. O sistema conta ainda com um algoritmo de inteligência artificial que analisa continuamente as imagens e reconhece alterações indicando a presença de fumaça, além de gerar alertas automatizados em apoio ao operador do sistema.

O sistema foi nomeado SYSGUARÁ em alusão simbólica a figura do Lobo-Guará, mamífero habitante do cerrado brasileiro e ameaçado de extinção, sendo considerada a única espécie de lobos que vive na América do Sul. Pautado na valorização dessa espécie, o sistema SYSGUARÁ tem seu grande diferencial na capacidade de prevenir incêndios em seu estágio inicial, realizando a contenção do mesmo desde o primeiro sinal de fumaça, graças ao poder de inteligência artificial implementada.

Situada no Brasil, região de Montes Claros, Minas Gerais, a empresa realiza a instalação, suporte e orientação técnica sobre o sistema SYSGUARÁ no monitoramento de florestas comerciais e áreas agrícolas. Para maiores informações sobre o SYSGUARÁ, deve-se entrar em contato a partir do e-mail contato@com3telecom.com.br ou contato (31) 99945-2802.

O algoritmo de inteligência artificial do SYSGUARÁ é também ideal para áreas remotas e de difícil acesso, pois detecta de forma automática, qualquer foco de incêndio, localizando de forma precisa o local exato do foco inicial do incêndio.

...

Palavras-chave: Inteligência Artificial, Monitoramento florestal, detecção de fumaça, incêndios florestais, sysguará, detecção de fumaça florestal, câmeras, inteligência computacional.

 

Fontes utilizadas:

-        https://www.kersys.com.br/a-expansao-da-inteligencia-artificial-na-floresta/

-        https://portalincendio.com.br/publicacao.aspx?id=39452&alternativo=F&alternativo=F&paginacaoAtualListagemPublicacoes=3

-        http://www.centralflorestal.com.br/2021/12/relatorio-anual-2021-da-iba-ja-esta.html

-        http://www.centralflorestal.com.br/2022/02/sysguara-conheca-inteligencia.html

 


Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem